Bairro Centro de São Paulo

Chama-se comumente Zona Central de São Paulo (ou simplesmente Centro de São Paulo) à região administrada pela Subprefeitura da Sé, que engloba os distritos da Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República, Sé e Santa Cecília.

Não deve ser confundida com a região conhecida como centro expandido.

Bairro Centro de São Paulo

Utilizada eventualmente pela prefeitura do município em ações de planejamento urbano, a qual engloba também partes das subprefeituras da Mooca, Lapa, Pinheiros, Vila Mariana e Ipiranga, ou com o Centro Histórico de São Paulo, que engloba apenas a parte mais antiga da região central.

Oficialmente, a zona central é delimitada pelos distritos da Subprefeitura da Sé. No entanto, a percepção social daquilo que se chama “centro de São Paulo” varia e eventualmente inclui outras áreas do município. Até a criação da subprefeitura da Sé, a noção de “centro” equivalia à região da antiga Administração Regional da Sé, que também incluía os distritos do Brás e do Pari – atualmente englobados pela Subprefeitura da Mooca -, interpretação que também é encontrada atualmente.



A noção de “área central de São Paulo”, porém, é mais ampla a depender do estudo que é feito a respeito da região e pode incluir pontos como os centros financeiros da Avenida Paulista e da Avenida Berrini.

Para Villaça, chama-se de “área de concentração das camadas de alta renda” a região do município que engloba todas as centralidades que são historicamente chamadas de “centro” e cujas imagens são de tempos em tempos ideologicamente associadas à própria imagem do município. Esta região, que poderia ser entendida como o centro metropolitano de São Paulo, também é chamada de “vetor sudoeste” e concentra a maior parte da renda, dos empregos e da atuação do Estado no município.

O centro de São Paulo foi também o principal distrito financeiro do município até aproximadamente a segunda metade do século XX. A partir da década de 1970, por vários erros de sucessivos governos municipais e pelo desenvolvimento de outras áreas da município, muitas empresas começaram a se mudar para outros distritos do município.

Novos centros financeiros começaram a surgir pelo município e a sede de órgãos do governo do estado de São Paulo deixaram a região, como a transferência sua sede para o Palácio dos Bandeirantes no distrito do Morumbi (Zona Oeste de São Paulo). Com o forte processo de degradação urbana e de queda na qualidade de vida da região, a maioria das pessoas de alta e média renda, além de artistas e intelectuais que viviam na região, também começaram a mudar-se para outras áreas do município, resultando no agravamento da decadência da região central da cidade.

O intenso processo de esvaziamento e degradação urbana na região trouxe várias consequências como o aumento das taxas de delinquência, economia informal, atos de vandalismo, falta de investimento privado em novos imóveis, depredação do patrimônio histórico, especulação imobiliária, prostituição, aumento no número de mendigos e consumo de drogas.

No início da década de 1990 começaram a surgir as primeiras intenções e movimentos por parte da sociedade (como a associação “Viva o Centro”) e do governo (municipal e estadual) que tratavam da recuperação social, econômica, turística e cultural da região, iniciando um lento, porém constante, processo de revitalização.

Vários centros culturais foram criados ou recuperados, como a Pinacoteca do Estado de São Paulo, a Estação da Luz, o Museu da Língua Portuguesa, a Estação Júlio Prestes, a Sala São Paulo, o Teatro Municipal de São Paulo, o Mercado Municipal de São Paulo, o Palácio das Indústrias, o Museu Catavento, entre outros.

Em 2009 foi criada uma nova forma de vigilância dos espaços públicos para esta zona do município, denominada “Aliança pelo Centro Histórico de São Paulo” que inclui esforços da prefeitura do município, da associação “Viva o Centro” e das empresas privadas da região. O projeto “Aliança pelo centro histórico” tem o objetivo de proporcionar a qualidade total dos serviços públicos como: a segurança, a iluminação e a limpeza das ruas e praças e outros mais.

Outra importante iniciativa de recuperação da região central de São Paulo é o Projeto Nova Luz, criado pela prefeitura em 2004 e iniciado em 2005, tem por objetivo reformular por completo a área da atual “Cracolândia”, local bastante degradado no centro da cidade, conhecido por ser ponto de tráfico e uso de drogas.



Bairro Centro de São Paulo CEP

Bairro predominantemente comercial com 33,50% de seus endereços comerciais.

Principais ruas do Bairro Centro

  • CEP 01501-030
    Rua Álvares Machado
  • CEP 01025-000
    Rua Carlos de Sousa Nazaré – lado par
  • CEP 01024-000
    Rua da Cantareira – até 800 – lado par
  • CEP 01023-001
    Rua Barão de Duprat – lado ímpar
  • CEP 01021-200
    Rua Vinte e Cinco de Março – de 551 ao fim – lado ímpar
  • CEP 01025-001
    Rua Carlos de Sousa Nazaré – lado ímpar
  • CEP 01029-001
    Rua Florêncio de Abreu – de 401 ao fim – lado ímpar
  • CEP 01028-000
    Rua Mauá
  • CEP 01032-000
    Rua Brigadeiro Tobias – até 449/450
  • CEP 01501-020
    Viaduto Dona Paulina

Outras ruas

  • Avenida Prestes Maia – lado ímpar
  • Rua Florêncio de Abreu – de 400 ao fim – lado par
  • Rua Miguel Carlos
  • Rua Barão de Duprat – lado par
  • Rua Florêncio de Abreu – até 399 – lado ímpar
  • Rua Quinze de Novembro – lado par
  • Rua General Carneiro
  • Viaduto Nove de Julho
  • Rua Vinte e Cinco de Março – de 552 ao fim – lado par
  • Rua Paula Sousa – lado par
  • Parque Dom Pedro II – de 502 ao fim – lado par
  • Rua Líbero Badaró – lado par
  • Rua Paula Sousa – lado ímpar
  • Avenida Senador Queirós – lado par
  • Avenida São João – até 648 – lado par

Bairro Centro de São Paulo O Que Fazer

Confira alguns pontos para visita no Centro de São Paulo.

  • Estação da Luz
    Essa é uma das estações de metrô mais movimentada de São Paulo, e também, um dos pontos turísticos da cidade.
    Com mais de 100 anos de história, a estação que teve a sua matéria prima para construção importada da Inglaterra é até hoje um ícone da arquitetura de São Paulo.
  • Parque da Luz
    Esse é o parque mais antigo de São Paulo e fica bem em frente à Estação da Luz. Possui espaço para musculação, bancos, chafariz, playground e muita sombra graças as árvores gigantescas que há por lá. Ah, também há um pequeno aquário subterrâneo que pouca gente conhece.
  • Museu da Língua Portuguesa
    Pensei muito sobre indicar ou não o Museu da Língua Portuguesa nesse artigo, afinal, se você ainda não o conhece, provavelmente não irá visitá-lo antes de 2018. Esse é o prazo estimado para que termine as obras de restauração após o incêndio que atingiu o museu no final de 2015.
  • Pinacoteca
    Fundada em 1905, a Pinacoteca do estado de São Paulo é um dos mais antigos e importantes museus de arte da cidade.
    Funciona de quarta a segunda, das 10h às 18h. O ingresso custa R$ 6,00 (inteira) e a entrada é gratuita aos sábados.
  • Sala São Paulo
    Difícil dizer o que é mais interessante no Centro Cultural Júlio Prestes: a arquitetura em si de todo o espaço, ou a grandiosidade da Sala São Paulo. Enfim, a minha única certeza é de que esse é um lugar imperdível em uma visita à Terra da Garoa.
    Além de poder fazer uma visita guiada em uma das salas de concertos mais importantes do Brasil, é possível assistir a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo aos domingos de manhã sem precisar pagar nada.

Bairro Centro de São Paulo Fotos

Bairro Centro de São Paulo Fotos

Outras informações e site

Mapa de localização



Deixe seu comentário